É proibida a entrada a quem não andar espantado de existir.
.posts recentes

. Mais outra sugestão music...

. Sugestões musicais

. Sugestão musical

. São quatro anos, afinal

. Não existo.

. Vicky Cristina Barcelona:...

. Momentos de felicidade

. uma sugestão para ler

. EU VOU!!!

. Kafka

.arquivos

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Junho 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Junho 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Janeiro 2005

. Novembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

.pesquisar
 
.Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
.tags

. todas as tags

Terça-feira, 6 de Julho de 2004
A vida não é um desporto em que, para alguém ganhar, outro tem de perder.
QUEM_GANHOU3 (800 x 600) (640 x 480) (320 x 240).jpg


Vem este texto a propósito de um anúncio veiculado pela TMN e criado pela TBWA-EPG, e cujo headline é “Quem ganhou o Euro 2004?”.
Acho uma ideia interessante, bem em cheio no espírito que inundou o nosso país. Faz-me porém levantar uma questão: será que este anúncio seria veiculado se o resultado da Final do Euro fosse outro? Pessoalmente, espero que sim, se bem que dificilmente se virá a saber qual a verdadeira resposta para esta pergunta.
De qualquer modo, o anúncio fez-me pensar em algo de muito importante: quem são os verdadeiros heróis portugueses? Talvez os trabalhadores por conta de outrém e do Estado, que continuam a pagar os seus impostos, vendo que, nas suas barbas, muitos profissionais liberais e outros continuam impunes na fuga ao fisco. Ou os muitos desempregados que lutam diariamente por conseguir formas de melhor sustentar a sua família – normalmente tendo que recorrer a pequenos “desvios” às normas do subsídio de desemprego, o que é apenas natural, dada a bacoquice das mesmas. Ou ainda os portugueses que diariamente lutam com inúmeras dificuldades em termos de condições de trabalho, e ainda assim ganham prémios internacionais na sua área de actividade.
Há muitos mais heróis no nosso país, bem sei. Mas agora que os futebolistas saíram do palco, é importante que seja a população a projectar os holofotes para si próprios, conscientes de que têm uma palavra a dizer e podem de facto fazer algo para que o seu país seja um local mais aprazível. Podem até contribuir apenas com uma cara menos carrancuda, de manhã, à ida para o trabalho.
publicado por ladoc às 11:19
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De Z Antnio a 12 de Julho de 2004 às 17:23
Pô, meu! Esse anúncio é uma grande treta (muito bem escrito, é certo - não questiono a qualidade da peça publicitária). Mas é conversa para boi dormir. Eu não quero ser campeão moral. Eu quero é ganhar em campo... Ser o segundo é nada. Ninguém lembra quem foi o vice no último Euro. Nem no último Mundial.
Aliás, este anúncio só saiu porque o espaço já tinha sido comprado e tinha que haver algo no lugar. Não serve de consolo.
De Rui LA a 10 de Julho de 2004 às 18:26
Gostei MUITO do Anuncio. Ainda MAIS do Espirito dos PORTUGUESES perante a Nossa Selecção. Pena ke não se nus Unamus MAIS Vezes por kestões Bem MAIS Importantes pa noz i po Nosso Pais. VIVA NÓZ !!! Abráçus du Rui L.A. pó GRANDE Luis.
De manms a 7 de Julho de 2004 às 10:45
Agora sim, encontraste o veiculo que procuravas para expor aquilo que tanto defendes e acreditas. Força, Luis!
De Joao Carrolo a 6 de Julho de 2004 às 12:07
Já dizia o Jorge Palma: "Não se pode estar direito quando se tem a espinha torta.".Por todos os motivos enunciados no teu texto, se quem realmente pode e tem condições para contribuir para um país mais saudável e aprazível, a classe superior de Doutores&Engenheiros que governam este país e que nos cortam as asas profissionalmente por falta de visão e rigor estratégico - e muitas vezes apenas por falta de bom gosto, bom senso e educação - é que devia contribuir não com uma cara menos carrancuda, mas apenas e só com respeito profissional e responsabilidade social.

Comentar post

blogs SAPO
.subscrever feeds